quarta-feira, abril 30, 2008

O preconceito

Segundo o dicionário da lingua portuguesa "UOL - Michaelis" preconceito significa:

"preconceito
pre.con.cei.to
sm (pre+conceito) 1 Conceito ou opinião formados antes de ter os conhecimentos adequados. 2 Opinião ou sentimento desfavorável, concebido antecipadamente ou independente de experiência ou razão. 3 Superstição que obriga a certos atos ou impede que eles se pratiquem. 4 Sociol Atitude emocionalmente condicionada, baseada em crença, opinião ou generalização, determinando simpatia ou antipatia para com indivíduos ou grupos. P. de classe: atitudes discriminatórias incondicionadas contra pessoas de outra classe social. P. racial: manifestação hostil ou desprezo contra indivíduos ou povos de outras raças. P. religioso: intolerância manifesta contra indivíduos ou grupos que seguem outras religiões."

A seguir vamos colocar a disposição links com curtas que relatam ou trazem em suas estórias a questão do preconceito. Os curtas são publicações do "Porta Curtas Petrobras". Também propomos que dê sua opinião quanto ao tema respondendo nossa enquete sobre preconceito (ver do lado direito do video no espaço destinado à enquetes). Você poderá escolher uma ou mais opções. Claro que se votar no ítem "O brasileiro não é preconceituoso", os demais deverão ficar em branco, e vice-versa. Você também poderá tecer comentários sobre o assunto.

A Peste de Janice
: "num colégio de patricinhas indóceis e professorinhas tiranas, a filha da faxineira enfrenta heroicamente rejeição, preconceito e, de rebarba, a pré-adolescência."
Clique no link abaixo, o filme tem 15 minutos.

A Peste da Janice


O Último Raio de Sol: "Livre adaptação de uma história verídica, em que dois jovens da alta classe bBrasiliense que, numa viagem à Chapada dos Veadeiros, se divertem ameaçando e desmoralizando pessoas de classe social inferior que pedem carona na estrada. Tratando de temas como a impunidade, violência e preconceito, o filme fala de como uma atitude inconseqüente pode resultar num final inesperado." Clique no link abaixo, o filme tem 18 minutos.
O Último Raio de Sol

Estrada: "Uma bizarra situação de preconceito e tensao social se inicia quando o carro de 2 patricinhas quebra numa estrada deserta."
Clique no link abaixo, o filme tem 9 minutos.
Estrada


O Moleque: "Garoto pobre e negro, filho da melhor lavadeira da região, tem como único amigo de pescaria, Pedrinho. NO entanto uma coisa o aborrece profundamente." Clique no link abaixo, o filme tem 13 minutos.
O Moleque


O Rito de Ismael Ivo: "A vida do bailarino negro Ismael Ivo, suas performances, depoimentos sobre a dança e as dificuldades sociais para quem vem de classe social mais pobre e supera obstáculos em sua profissão, até ficar famoso em todo o mundo." Click no link abaixo, o filme tem 12 minutos.
O Rito de Ismael Ivo

O Xadrez das Cores: "Cida, uma mulher negra de quarenta anos, vai trabalhar para Maria, uma velha de oitenta anos, viúva e sem filhos, que é extremamente racista. A relação entre as duas mulheres começa tumultuada, com Maria tripudiando em cima de Cida por ela ser negra. Cida atura a tudo em silêncio, por precisar do dinheiro, até que decide se vingar através de um jogo de xadrez." Clique no link abaixo, o filme tem 22 minutos.
O Xadrez das Cores

E o convivio pacífico entre as diferenças é possível. Isso foi demonstrado aqui no Brasil em 2003, mais precisamente em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, durante o Fórum Social Mundial. Isto é que mostra o diretor Sérgio Sá Leitão no We Belong - Uma Celebração da Diversidade.
"Os espectadores poderão ver, ouvir e se emocionar com pessoas de lugares e trajetórias completamente diferentes, que acabam se encontrando num mesmo lugar, pela mesma razão: o desejo de construir um mundo mais justo e igualitário." Clique no link abaixo, o filme tem 26 minutos.
We Belong - Uma Celebração da Diversidade

Para encerrar deixo uma das frases de lider sul-africano Nelson Mandela: "Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar."

Blog Chance à Paz
Criação, produção, redação e responsabilidade
Silvio Luis
Assis/SP
E-mail: chanceapaz@bol.com.br
VIVA A PAZ!!! VIVA EM PAZ!!!

sábado, abril 19, 2008

Dia de Tiradentes - 21 de Abril



Clique sobre o texto para ampliá-lo

Dia do Índio - 19 de abril

Veja abaixo um video com informações sobre os indigenas brasileiros.
Sua publicação original foi realizada no site www.youtube.com e sua URL é
http://www.youtube.com/watch?v=hSdsMSKDRwA . Trata-se de uma produção do Projeto Cultural
Abrali ( http://www.abrali.com/ )


video

De 15 à 18 de abril, em Brasília, lideranças indigenas estiveram reunidas no 5º Acampamento Terra Livre. Um dos principais problemas indigenas atualmente no país e a efetivação do Parque Raposa-Serra do Sol, no estado de Roraima. Lá, indios e produtores arroz disputam o mesmo espaço. No dia 16, as lideranças indigenas enviaram ao ministro da Justiça, Tarso Genro, uma carta (clique sobre a palavra em negrito para ler o documento) sobre o assunto. A publicação é do site http://www.socioambiental.org/ .

No termino do acampamento, no dia 18, os indigenas foram recebidos pelo presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, oportunidade em que entregaram ao parlamentar a Carta do Acampamento Terra Livre (ATL) / Abril Indígena 2008 (clique sobre a frase em negrito para ler o documento)que tem como uma das principais reivindicação a aprovação do Estatuto do Povos Indigenas, que há 13 anos tramita no Congresso. A publicação é do site http://www.cimi.org.br/ .


Blog Chance à Paz
Redação, edição, publicação e responsabilidade
Silvio Luis
Assis/SP
E-mail: chanceapaz@bol.com.br
VIVA A PAZ!!! VIVA EM PAZ!!!

quarta-feira, abril 02, 2008

Exposição “De Luzia aos Nossos Dias” atrai bom público ao Grupão.

Com o intuito de homenagear as mulheres e conscientizá-las quanto às formas de se combater a violência doméstica, um dos grandes males enfrentados por elas em todo o mundo, a Exposição “De Luzia Aos Nossos Dias” foi realizada nos dias 28, 29 e 30 de março de 2008, na E.E. “Clotilde de Castro Barreira” (Grupão), em Cândido Mota, interior de São Paulo.

A exposição também traçou uma mostra da trajetória feminina no mundo, no Brasil e em Cândido Mota.
Daí o nome "De Luzia aos Nossos Dias"
Na noite de sexta-feira, dia 28, ocorreu a abertura da exposição e, depois das falas de Silvio Luís e da diretora da “Grupão”, Laura Cavina Marrone, e da execução do Hino Nacional, houve a apresentação de um número de dança cigana. Para justificar a apresentação, o apresentador, Silvio Luís, disse que “há várias figuras femininas que representam as mais variadas culturas ao redor do mundo: a baiana e a mulata, como no caso do Brasil; a figura da odalisca, entre os árabes; a gueixa, no Japão; a dançarina espanhola, na Espanha; e a cigana.” Coube a Valéria Ananias de Carvalho a apresentação. A jovem é portadora da síndrome de Down. Quis-se, então, com isto, demonstrar que se é difícil ser mulher, imagine ser mulher e portadora de deficiência (seja ela qual for) ao mesmo tempo. Porém, é possível superar as dificuldades, basta querer e procurar ajuda.
Estava previsto que a Prof.ª Dr.ª Maria Elvira Bellotto fizesse a palestra de abertura, no entanto, devido a problemas de saúde ela não pode comparecer, fato que obrigou o próprio organizador do evento, Silvio Luís de Carvalho, a improvisar tal palestra.
Ele procurou despertar em todos, especialmente nas mulheres, que o fim da violência doméstica é, em grande parte, responsabilidade delas, uma vez que são vítimas e como tal devem denunciar seus agressores, assim como fez Maria da Penha. A falta de denúncia só faz fortalecer o agressor.
Foram utilizadas cinco músicas para ilustrar a palestra. Para falar sobre a trajetória feminina ao longo da história e a condição de servidão em relação ao homem, foi ouvida a música de Tom Zé, “Mulher Navio Negreiro”.
Dando continuidade, o palestrante fez uma comparação entre a relação homem X mulher e a de macho X fêmea entre os animais. O pano de fundo foi a música “João de Barro” (Teddy Vieira/Muibo César Cury). Uma segunda música que também ilustrou este trecho da palestra foi “Cabocla Tereza” (Raul Torres/João Pacífico). Ambas mostram que tanto no mundo animal (irracional e instintivo) quanto no nosso (racional e inteligente) a fêmea que traí merece a morte como punição.
Segundo Silvio Luís, uma forma de ao menos minimizar a situação de violência seria, por exemplo, a criação de um conselho ou comitê feminino na cidade, onde as mulheres em situação de risco ou agredidas pudessem buscar orientação e apoio, o que é previsto na Lei Maria da Penha. Porém, isso só será feito caso as próprias mulheres se mobilizem. Mobilizadas, elas devem procurar ampliar seu espaço na política, na economia e mercado de trabalho, na família e na sociedade. As mulheres formam a maioria da população, e por isso a maioria dos eleitores, e elas não têm a mesma presença na vida política e econômica (mercado de trabalho, principalmente).
Mais espaço na mídia também deve ser buscado pelas mulheres, uma vez que, especialmente nas artes, os homens são em maior número e em suas obras (música e textos) são as mulheres que causam sofrimento a eles. As mulheres aparecem sempre como traidoras e causadoras de desilusões amorosas. No entanto sabe-se que na maioria dos casos de traições e desilusões os homens é que fazem as mulheres sofrerem, especialmente em relação à violência doméstica.
A violência doméstica não é restrita apenas as agressões físicas, mas também a pior das formas, a psicológica, pois não deixa seqüelas visíveis. O que há de terrível nisso também é o fato de que na grande maioria dos casos o agressor é aquele homem que deveria ser sinônimo de segurança, de bem-estar e zelo, que é o marido, o namorado, o pai, o irmão, um tio ou parente próximo, ou ainda um vizinho. Isto se passa em todas as classes sociais. Status e riqueza não são sinônimos de convivência pacífica.
Silvio afirmou que há mulheres conquistando espaço na mídia, porém muitas delas se sujeitam as formas machistas como exploração do corpo e condição de submissas, como no caso da música “Um Tapinha Não Dói” (Furacão 2000). Na música uma mulher canta o trecho “um tapinha não dói”. Ressalta-se que um juiz federal do Rio Grande do Sul condenou os produtores desta música ao pagamento de uma multa no valor de R$ 500 mil por considerar que ela banaliza a violência contra a mulher. A multa será repassada para o Fundo Federal de Defesa dos Direitos. Os produtores podem recorrer da sentença.
Para encerrar exaltando as mulheres foi tocada a música “Canção da Mulher Latino-Americana” (Padre Zezinho).
O evento, com exibição de fotos e de dados básicos sobre algumas das mulheres que foram ou são destaque mundial, nacional e local e exibição de vídeos sobre a violência doméstica e a Lei Maria da Penha, prosseguiu até domingo, dia 30, com boa aceitação do público. Algumas mulheres se disseram emocionadas e que saiam do local reconfortadas e revigoradas.
Também para ilustração foram expostas 3 peças em madeira que retratam a mulher do escultor Dimas. Ele mantém ateliê na Rua São Paulo, 456, em Cândido Mota, fones (18) 3341.4099 ou (18) 9704.0756. Dimas, esculpi e entalha as mais variadas peças em madeira.
Professores e alunos do Grupão também contribuíram para a realização do evento. Eles entrevistaram algumas das mulheres cândido-motenses citadas na exposição. Ainda, paralelamente, por iniciativa de uma professora e seus alunos, foram homenageadas as ex-diretoras do estabelecimento de ensino.
A exposição de “Luzia Aos Nossos Dias” foi realizada numa parceria entre o Projeto Chance à Paz, a EE “Profª Clotilde de Castro Barreira” e o programa “Escola da Família”. Contou com o apoio das rádios A Voz do Vale e Mensagem, da CMOTAnet, e do Jornal O Diário do Vale, aos quais cabem os sinceros agradecimentos da parte dos organizadores do evento. Agradecimentos também ao escultor Dimas pelo empréstimo de suas peças e ao público que prestigiou o evento. O termo ‘Luzia’, é em referência ao fóssil do crânio de uma mulher encontrado na década de 70, em Minas Gerais, cujo descobridor deu o nome de Luzia. O fóssil tem idade estimada de 11.500 anos, sendo assim o mais antigo da América do Sul.


Conheça agora as cândido-motenses que foram citadas na exposição:
(clique sobre a foto para vê-la ampliada)
















Sem foto foram citadas: Areni de Bortoli - Dir. Adm. do Centro Vocacional.
Luzia de Oliveira Pipolo - Uma das fundadoras da APAE, dedica sua vida a benemerência.
Olivia Nespoli de Souza - Líder Comunitária.

Abaixo você verá fotos do evento.
As fotos são de Laura Cavina e do Jornal O Diário do Vale (Marcus Motta).
(Clique sobre a foto para vê-la ampliada.)

























Agradecimentos especiais ao casal Márcia e Paulo




Fotos das esculturas confeccionadas em madeiras por Dimas.
(Clique sobre as fotos para vê-las ampliadas)



Para assistir alguns vídeos que tratam da violência contra a mulher e a Lei Maria da Penha role a página observando as publicações na lateral direita deste blog que você encontrará as barras de vídeo. Também estão programados clips de musicas que exaltam a mulher.

A seguir textos que ilustraram a exposição:

À Você Mulher

Sede como MARIA - Mãe de Jesus – Bem Aventurada.

Bem aventurada a mulher que cuida do próprio perfil interior e exterior, porque a harmonia da pessoa faz mais bela a convivência humana. Bem aventurada a mulher que, ao lado do homem, exercita a própria insubstituível responsabilidade na família, na sociedade, na história e no universo inteiro. Bem aventurada a mulher chamada a transmitir e a guardar a vida de maneira humilde e grande. Bem aventurada quando nela e ao redor dela acolhe faz crescer e protege a vida. Bem aventurada a mulher que põe a inteligência, a sensibilidade e a cultura a serviço dela, onde ela venha a ser diminuída ou deturpada. Bem aventurada a mulher que se empenha em promover um mundo mais justo e mais humano. Bem aventurada a mulher que, em seu caminho, encontra Cristo: escuta-O, acolhe-O, segue-O, como tantas mulheres do evangelho, e se deixa iluminar por Ele na opção de vida. Bem aventurada a mulher que, dia após dia, com pequenos gestos, com palavras e atenções que nascem do coração, traça sendas de esperança para a humanidade.
(G.Quablini)

M de Mulher

Seus Malabarismos Mágicos Manipulam Marionetes.

Meninas, Mães, Madres, Marquesas e Ministras.
Madalenas ou Marias.
Marinas ou Madonas.
Elas são Manhãs e Madrugadas.

Mártires e Massacradas.
Mas sempre Maravilhosas, essas Moças Melindrosas.

Mergulham em Mares e Madrepérolas, em Margaridas e Miosótis.
E são Marinheiras e Magníficas.

Mimam Mascotes.
Multiplicam Memórias e Milhares de Momentos.
Marcam suas Mudanças.

Momentâneas ou Milenares,
Mudas ou Murmurantes, Multicoloridas ou Monocromáticas, Megalomaníacas ou Modestas, Musculosas, Maliciosas, Maquiadoras, Maquinistas,Manicures, Maiores, Menores, Madrastas, Madrinhas, Manhosas, Maduras, Molecas,Melodiosas, Modernas, Magrinhas.
São Músicas, Misturas, Mármore e Minério. Merecem Mundos e não Migalhas.
Merecem Medalhas. São Monumentos em Movimento, esses Milhões de Mulheres Maiúsculas.

(Site Mensagens e Poemas)

Mulher, Sempre Mulher

Mulheres românticas, apaixonadas, inovadoras.

Mulheres que sonham e que lutam por uma realidade melhor.
Mulheres que amamentam, que cuidam da casa e que fazem política.
Mulheres que andam pelos caminhos da ciência, mas que não esquecem Deus.
Mulheres que crêem na sorte e outras que vivem uma realidade desoladora.
Mulheres que passeiam no shopping e mulheres sem terra.
Mulheres que vendem o corpo e outras tantas que vendem a alma.
Mulheres cheias de graça e mulheres que a vida tornou rude.
Mulheres vaidosas, mulheres femininas e feministas.
Mulheres que aprenderam a lutar e mulheres dondocas.
Mulheres engenheiras, políticas, mulheres de fé e mulheres renovadoras.

Mulheres inovadoras, transformadoras e mulheres sem trabalho.
Mulheres na NASA, cientistas, pesquisadoras e mulheres que sonham.
Mulheres que abrem portas, mulheres no motel, na cadeia.
Mulheres que choram pelos filhos e mulheres na academia.
Mulheres que buscam milagres e que lutam pela vida.
Mulheres que formam família, mulheres avós e mulheres vazias.
Mulheres que sabem cozinhar e mulheres rendeiras.
Mulheres que amam e que choram.
Mulheres que sabem e que nunca se omitiram.
Mulheres bruxas e mulheres fadas.
Agarradas a um misto de sonhos e de realidades.
Mulheres que tem fé e arrancam a vida com as mãos: Hoje é seu dia!!!!
Cada uma em seu caminho, cada uma
com sua opção mas nunca deixando de ser MULHER...
Feliz Dia Internacional da Mulher
(Site Magia das Mensagens)


Poesia do Dia das Mulheres

Mulheres, personalidades honradíssimas

Temos nós, orgulho em tê-las.
Mãe, amada, irmã... amiguíssimas

Impossível não percebê-las.
Desde as meigas, às extremistas,

Não há quem possa vencê-las.
Como mãe, semeia esperança.

Como irmã, espalha fervor.
Se esposa, há perseverança.
Se sofrida, nos causa dor.
Se trabalhadora, emite confiança.
Mas em tudo, cultiva amor.
Mulher, símbolo da vida,

Imagem da perfeição.
Tantas vezes abatida

Por causa da traição
De alguém que, “enlouquecida”
Entregou seu coração.
Com palavras vim demonstrar,

Da humanidade a gratidão, Tu mereces compartilhar
De toda realização,
Pois está sempre a participar
Do que enaltece uma nação.
Independente do nome

Que você recebeu,
É a maior demonstração
De beleza, garra, amor.... fé.
(José Raimundo Correia dos Santos)


Que mulher nunca teve

Que mulher nunca teve

Um sutiã meio furado,
Um primo meio tarado,
Ou um amigo meio viado?

Que mulher nunca tomou

Um fora de querer sumir,
Um porre de cair
Ou um lexotan para dormir?

Que mulher nunca sonhou
Com a sogra morta, estendida,
Em ser muito feliz na vida
Ou com uma lipo na barriga?

Que mulher nunca pensou
dar fim numa panela,
Jogar os filhos pela janela
Ou que a culpa era toda dela?

Que mulher nunca penou
Para ter a perna depilada,
Para aturar uma empregada
Ou para trabalhar menstruada?

Que mulher nunca comeu
Uma caixa de Bis, por ansiedade,
Uma alface, no almoço, por vaidade
Ou, um canalha por saudade?

Que mulher nunca apertou
O pé no sapato para caber,
A barriga para emagrecer
Ou um ursinho para não enlouquecer?
(Site Poemas e Mensagens)


Simplesmente Mulher

Teus braçosFortes braços

Num longo abraço
A me envolver
Teus lábios
Doces lábios
Fonte de beijos
Muitos beijos, pra me aquecer
Quanta coisa emana de ti, doce criatura
Amor...carinho...ternura
Tudo que me liga a teu ser, mulher
Tia... mãe...avó...Irmã...neta...filha...
Guerreira...companheira...
Tu que me namoras, me compreendes
Que me incentivas, me repreendes
E jamais me deixas só.
Tu que és dar e receber,
Que com a mesma humildade
Sabes perdoar e esquecer.
Santa ou pecadora
Ingênua ou sedutora
Não importa! Serás sempre uma rainha
Uma intercessora...uma fada madrinha...
Aquela que na minha aflição, chamoLaura...Priscila...Mary...Maria José...
A todas, admiro e amo
Santas criaturas
Anjos de candura
Simplesmente mulher!
(Site Belas Mensagens)


Uma Mulher

Uma mulher caminha nua pelo quarto

é lenta como a luz daquela estrela
é tão secreta uma mulher que ao vê-la
nua no quarto pouco se sabe dela
a cor da pele, dos pêlos, o cabelo
o modo de pisar, algumas marcas
a curva arredondada de suas ancas
a parte onde a carne é mais branca
uma mulher é feita de mistérios
tudo se esconde: os sonhos, as axilas,
a vagina
ela envelhece e esconde uma menina
que permanece onde ela está agora
o homem que descobre uma mulher
será sempre o primeiro a ver a aurora.
(Bruna Lombardi)

“Quando Deus fez a mulher”

Quando Deus fez a mulher, já estava nas horas extras de seu sexto dia de trabalho.

Um anjo apareceu e lhe disse:
- “Por que gastas tanto tempo com esta?”
E o Senhor respondeu:
- “Você viu minha ‘Folha de Especificações’ para ela? Deve ser completamente lavável, porém não ser de plástico; ter mais de 200 partes móveis, todas arredondadas e macias e ser capaz de funcionar com uma dieta de qualquer coisa e sobras; ter um colo que possa acomodar quatro crianças ao mesmo tempo; ter um beijo que possa curar desde um joelho raspado até um coração ferido e fazer tudo isso com somente duas mãos.”
O anjo se maravilhou com os requisitos e disse:

- “Somente duas mãos….Impossível! E este é somente o modelo Standard? É muito trabalho para um só dia… Espere até amanhã para terminá-la, Senhor.”
E protestou o Senhor:
- “Não o farei. Estou muito perto de terminar esta criação, que é a favorita de meu próprio coração. Ela já se cura sozinha, quando está doente e pode trabalhar 18 horas por dia.”
O anjo se aproximou mais e tocou a mulher.

- “Porém a fizeste tão suave, Senhor!”
E Deus disse:
- “É suave, porém a fiz também forte. Não tens idéia do que pode aguentar ou conseguir.”

Então o anjo perguntou:
- “Será capaz de pensar?”

Deus respondeu:
- “Não somente será capaz de pensar , mas também de raciocinar e negociar.”Então, notando algo, o anjo estendeu a mão e tocou a pálpebra da mulher….
- “Senhor, parece que este modelo tem um vazamento…”
E corrigiu-o o Senhor...

- “Eu te disse que estavas colocando muitas coisas nela, isso não é nenhum vazamento… É uma lágrima.”
E o anjo quis saber para que serva a lágrima e Deus disse:

- “A lágrima é uma maneira de expressar sua sorte, suas penas, seu desengano, seu amor, sua solidão, seu sofrimento e seu orgulho.”
Isto impressionou muito ao anjo:
- “És um gênio, Senhor. Pensaste em tudo. A mulher é verdadeiramente maravilhosa.”
- “Sim, ela é! A mulher tem forças que maravilham os homens. Aguenta dificuldades, carrega grandes cargas físicas e emocionais, porém, tem amor e sorte.
Sorri, quando quer gritar.

Canta, quando quer chorar.
Chora, quando está feliz. Ri, quando está nervosa.
Luta pelo que acredita.
Enfrenta a injustiça.
Não aceita “não” como resposta, quando ela acredita que haja uma solução melhor.S
e priva, para que sua família possa ter algo.
Vai ao médico com uma amiga que tem medo de ir.
Ama incondicionalmente.
Chora quando seus filhos triunfam e se alegra quando suas amizades conseguem prêmios.
É feliz, quando ouve falar de um nascimento ou casamento.
Seu coração se despedaça, quando morre uma amiga.
Sofre com a perda de um ser querido, mas é ainda mais forte quando pensa que já não há mais forças.
Sabe que um beijo e um abraço podem ajudar a curar um coração ferido.
Porém, há um defeito incorrigível na mulher:

“É que ela se esquece o quanto vale.”
(autor desconhecido)


Justificativa do termo "Luzia"

Ossadas humanas descobertas na região de Lagoa Santa, no Estado de Minas Gerais, estão desafiando as teorias a respeito da ocupação humana do continente americano por dois motivos. Primeiro porque os fósseis encontrados são bem mais antigos do que as datas estabelecidas por essas teorias para a ocupação da América. Segundo porque o biólogo Walter Alves Neves, da USP, afirma que os humanos que habitavam essa região possuíam traços negróides, e não mongolóides do modo como são todos os povos índígenas americanos até então conhecidos.
A ossada de uma mulher encontrada na gruta de Lapa Vermelha IV, em Lagoa Santa, em 1975, ganhou o apelido de Luzia, dado por Walter Neves numa alusão a Lucy, a fêmea da espécie Australopithecus afarensis achada na Tanzânia em 1974, que tem 3,5 milhões de anos.
Luzia é o mais antigo esqueleto humano já encontrado nas Américas. Ela viveu a 11.500 anos atrás, sendo uma legítima representante do Homem de Lagoa Santa, como ficaram conhecidos pela ciência os humanos que habitaram aquela região no passado.

______________________________

Blog Chance à Paz
Redação, produção, responsabilidade
Silvio Luís
Assis/SP
E-mail chanceapaz@bol.com.br
VIVA A PAZ!!! VIVA EM PAZ!!!