quinta-feira, dezembro 27, 2007

A não violência não é uma qualidade a ser desenvolvida ou expressa sob encomenda. É um crescimento interno cuja subsistência depende de intenso esforço individual.

Frase de Mahatma Gandhi

2007 vai embora. Leva com ele cinzas, lágrimas e alegrias. Talvez deixe saudades, mas também deixa lições. E estas lições não devem ser esquecidas, sejam elas boas ou ruins... pois uma mostra o caminho a seguir e a outra mostra os erros que não devem se repetir.
Mas será que é assim mesmo?

Este é desejo... a cada ano que termina os desejos são os mesmos. E por os desejos serem os mesmos pode ser sinal de que, no decorrer do ano que termina, não conseguimos realizar os desejos anunciados quando de seu início.
Sempre pedimos e desejamos um ano cheio paz, alegria e realizações. É o que todo mundo quer... Mas será que é o que se procura realizar durante o ano?

Bem provável que não.
Pegue os números relativos a violência como: furtos, roubos, latrocínios, homicídios, seqüestros, acidentes nas rodovias, que por sinal tivemos o Natal mais violento de todos os tempos em nossas estradas federais, segundo dados da Policia Rodoviária Federal. E dizem que Natal é tempo de paz... menos para os que pegam as estradas, pelo jeito.
Partindo deste exemplo podemos avançar na influência que temos cada um na vida dos outros.
O motorista que exagera na velocidade, que dirige embriagado e desrespeita a lei de trânsito, além de pôr em risco sua própria vida põe em risco a vida de inocentes, ou seja, de pessoas, que sabem que o veículo pode se transformar em arma e por isso o conduz de maneira responsável e segura.
O trânsito é portanto um reflexo da educação, ou falta dela.
Vamos supor que o carro seja a vida. Se nós abusamos do carro, nós abusamos da vida.
Se nós conduzimos o carro com egoísmo, julgando que a estrada é só nossa e que os outros que saiam do caminho, com certeza a nossa vida também é conduzida da mesma forma. Não respeitamos o próximo, e ele, pra nós significa apenas e tão somente um entrave, um empecilho, alguém que precisa ser vencido a qualquer custo. Até que num determinado momento o choque é inevitável. Se for na estrada chamamos de acidente, e se for no cotidiano chamamos de desentendimento ou conflito, e para outros trata-se de desinteligência.
É claro que, eventos externos e imprevistos também contribuem para isso, mas na grande maioria das vezes, nossas próprias ações nos levam para uma situação de risco para nós mesmos e para terceiros.
Mudar este panorama só é possível com uma mudança de comportamento, e tal mudança, depende da vontade de cada um de nós. Se, dizemos que queremos um mundo melhor, mas nada fazemos para que assim seja, nada irá acontecer.
O mesmo é com relação aos desejos de ano novo... se apenas desejamos mas não agimos nada irá acontecer, e tudo tende a piorar. E isso nos transforma apenas em meros expectadores da vida que passa e não tem volta.

Por que desejamos e ao mesmo tempo delegamos aos outros a responsabilidade pela realização de tais desejos? Pode ser que agindo assim nos sentimos com um peso a menos de consciência, afinal nós desejamos, os outros é que não fazem por onde. Ou ainda por egoísmo mesmo ou até por incapacidade ou falta de motivação para a vida.
E é aí que o Chance à Paz e outras entidades que lidam com a cultura de paz e não violência entram em ação. É mostrar para as pessoas que a mudança é possível, desde que a iniciemos por nós mesmos. Não nos importemos se os outros não estão fazendo, façamos a nossa parte e aí de grão em grão, de gota em gota, de exemplo em exemplo a consciência dos outros também começa a mudar.

Um exemplo mundial de mudança de comportamento é o consumo do tabaco. O que há 20 anos atrás era considerado chique e símbolo de status agora é visto como desrespeito ao próximo e símbolo de falta de amor próprio, porque fumar faz mal a saúde. Já é um começo e um exemplo bem sucedido. Agora é preciso estender o mesmo princípio ao álcool e às drogas ilícitas.
É comum se ver avisos de 'Proibido Fumar', no entanto aviso de é proibido o consumo de bebida alcoólica, de cocaína, de crack, de haxixe, de ecstasy, de cola de sapateiro, entre outras coisas praticamente não se vê.

É verdade que as produtoras de bebidas alcoólicas, especialmente as cervejarias, fazem o alerta que é preciso consumir o produto com moderação, no entanto, ao mesmo tempo passam a idéia de que quem bebe tem uma vida mais feliz, conquista amigos e as mulheres mais lindas do pedaço se rendem aos que consomem esta ou aquela marca de cerveja. Então uma coisa acaba invalidando a outra.
Outra coisa... Depositamos nas crianças a esperança e damos a ela o símbolo da possibilidade de um futuro melhor. Mas será que na prática é o que fazemos?
Na maioria das vezes não.
Como podem as crianças de hoje construírem um mundo melhor se elas se espelham em exemplos, e muitos dos exemplos que elas têm são maus exemplos?
Como pode uma criança vir a respeitar o próximo quando adulta se ela enquanto nesta fase da vida só vê desrespeito, descrença, ódio e preconceitos como exemplos?
Para muitas falta o básico, que é o amor de pai e mãe. E o amor de pai e mãe não pode ser substituído por "peça que eu te dou”, como forma de compensar a ausência materna ou paterna no dia-a-dia.

E assim como os desejos, os quais esperamos que os outros realizem, pais e mães esperam que a escola, principalmente, faça o papel que lhes cabem na educação de seus filhos. Porém como pode a escola ensinar companheirismo, respeito, lealdade, moral, civismo se tais crianças não vivenciam em casa tais exemplos?
A criança e o mundo só terão bom futuro se tiverem um bom presente. Não se pode colher bondade de onde se planta maldade, não é mesmo?
Então como queremos um ano novo, se dentro nós tudo continua velho?

Como queremos um mundo melhor se continuamos a ser ruins?
Não é fácil mudar, eu sei. Também sei que é isso demanda tempo, e também sei que mudar o mundo não se trata de utopia. Mudar o mundo depende de vontade e de ação.
Vamos então nos renovar por dentro e agir, e só assim teremos um ano novo, uma década nova, um século novo, um mundo novo e melhor. Porém pra que isso aconteça é precisa ser dada a largada. Compreenda que se somos responsáveis pelo lado ruim da vida, também somos responsáveis pelo que há de bom na vida.
A mudança de depende de um exercício diário e incessante.
E ter um mundo melhor não significa simplesmente deixar de prejudicar os outros, significa também compartilhar e deixar de ser indiferente aos que nos cercam. Afinal a nossa atitude reflete nos outros, pois somos interdependentes. E aceitarmos e compreendermos a interdependência é um fator preponderante para sermos realmente alguém importante nesta vida.
Lembre-se que valemos pelo que somos e não pelo que possuímos.
Aproveite a oportunidade e tenha e um Feliz Ano Novo, repleto de paz e realizações.
(Texto de Silvio Luís de Carvalho)

Você pode acessar esta mensagem em áudio. Ela está acompanhada de algumas músicas. Trata-se do nosso Podcast Chance à Paz Especial de Ano Novo.
clique em http://www.podcast1.com.br/canal.php?codigo_canal=409, acesse o Programa de número 68. Também há outros disponíveis como o Especial de Natal, por exemplo.

Blog Chance à Paz
Criação, redação, edição, publicação e responsabilidade:
Silvio Luís
Assis/SP
e-mail: chanceapaz@bol.com.br
VIVA A PAZ!!! VIVA EM PAZ!!!
FELIZ ANO NOVO!!!! (mas para isso é preciso que você também se renove.)

sexta-feira, dezembro 14, 2007

Neste vídeo está nossa mensagem de Final de Ano. Que seu 2007 tenha sido tão feliz quanto o nosso, e que seu 2008 seja tão promissor e cheio de esperança como o nosso será.

video

terça-feira, dezembro 04, 2007

Alunos da Escola Helena Pupim têm mais uma palestra dentro do Projeto Fome Por Quê?

Na noite de 23 de novembro, uma sexta-feira, teve continuidade o Projeto Fome Por Quê? na Escola Municipal Helena Pupim Albanez, em Cândido Mota.
Desta vez a palestra foi com Mara da Silva Corsini, Coordenadora do Curso de Nutrição da UNIP (Universidade Paulista) - Campus Assis. Coube a ela falar aos alunos sobre os hábitos alimentares e uma alimentação correta e saudável.
O tema despertou interesse por parte da platéia, principalmente por que os princípios nutricionais, muitas das vezes, chocam-se com a cultura popular, principalmente no que diz respeito ao consumo de produtos calóricos e gordurosos em detrimentos aos que oferecem fibras, proteínas e vitaminas.
Mara disse que só com essa mudança de hábito alimentar associada à prática de exercícios físicos é que se consegue manter o organismo em perfeito funcionamento e, por conseqüência, uma melhor qualidade de vida.
Em um momento da palestra, Mara causou espanto e sua declaração gerou polêmica. Disse ela que “mais se perde peso quanto mais se come”. Praticamente ninguém acreditou no acabara de ouvir. E todos perguntaram: como isso é possível?
A palestrante então explicou dizendo que é necessário fazer de 5 a 6 "pequenas" refeições ao dia, fracionada com intervalos de 3 horas e com uma maior variedade de alimentos. Ela aconselha, ainda, que seja aumentado o consumo de frutas e verduras e, diminuído o consumo de frituras e doces.
Ao encerrar sua fala, Mara Corsini, exibiu um clip com a música Epitáfio, dos Titãs, para lembrar que devemos cuidar da saúde hoje, e não deixar para amanhã. Ela ainda afirmou que o Curso de Nutrição da UNIP oferece atendimento gratuito a população quanto a problemas de obesidade, hipertensão, diabetes e todas as demais patologias relacionadas à alimentação. Para ser atendido é preciso agendar pelo telefone (18) 3323-5500.
O Projeto Fome Por Quê? é desenvolvido nas Escolas Municipais Helena Pupim Albanez e Olga Breve Alves, em Cândido Mota, tendo como publico alvo alunos da EJA e ensino técnico, do período noturno, em parceria com o Alimente-se Bem do Sesi, Cozinha Piloto de Cândido Mota, ETE Prof. Luiz Pires Barbosa e UNIP.

Recanto dos Amigos

Hoje vamos nos referir ao tempo, principalmente aquele que desperdiçamos durante a vida. O texto foi enviado por Regina Macre, de Cândido Mota, é de autoria de Mário Quintana e tem o título de A Vida.

A VIDA

"A vida são deveres, que nós trouxemos para fazer em casa...

" Quando se vê, já são seis horas !
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já é Natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, passaram-se 50 anos !
Agora, é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas...
Dessa forma, eu digo: não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo.
A única falta que terá, será desse tempo que infelizmente... não voltará mais."

MARIO QUINTANA

O novo IDH, publicado pelo PNUD, coloca o Brasil entre os países com alto desenvolvimento humano. Festejar ou Refletir.


Relatório coloca o Brasil entre as nações com alto desenvolvimento humano. Ou seja entre aquelas que apresentam média acima de 0,8 para o máximo de 1.
Eu tive um professor que dizia: “Estatística é a arte de enganar os outros através dos números”. E é o que a gente pode verificar com essa informação. Na média o Brasil tem bom desempenho, no entanto seus extremos estão muito longe um do outro. O
extremo rico é composto por poucos com muito e o extremo pobre é composto por muitos com pouco. A renda da camada inferior aumentou, é fato, até por conta de programas como Bolsa Família. Já a renda dos ricos cresceu mais, e isso faz a distância entre pobres e ricos também aumente. Prova que mesmo tendo atingido o índice mínimo considerado para ser classificado como de alto índice de desenvolvimento humano, o país perdeu uma posição no ranking em relação ao último relatório, é agora o septuagésimo colocado.

E entrando na onda da enganação através dos números o governo tratou de comemorar. No entanto é preciso colocarmos os pés no chão e procurarmos aproximar tais extremos, para que os números futuros reflitam uma realidade verdadeira, e não ilusória. Não passamos da água pro vinho. No entanto, é inegável que houve avanços sociais no Brasil, no entanto a população excluída e marginalizada deste país ainda é grande. Ainda há crianças que não freqüentam escolas, maiores de 15 anos analfabetos e o subemprego, além de falta de saneamento básico e falta de acesso à informação e aos serviços públicos.


Torcedores X Generosidade

Corinthians cai para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Torcedores corintianos experimentaram o mesmo sabor quando tripudiaram sobre Palmeiras, Grêmio e Coritiba entre outros, quando estes também passaram pelo drama do rebaixamento. Não se trata de uma espécie de vingança, mas sim mede o comportamento do torcedor. A busca pela vitória e sagrar-se campeão é o desejo de todos os que entram numa competição.
No entanto, como tudo na vida, passamos por vitórias e derrotas.
Muitas das vezes, o vencedor impõe ao derrotado outras humilhações que até ultrapassam as barreiras da esportividade.
Além disso, eu pude experimentar outros dois momentos quanto ao comportamento de torcidas. Aqui em Assis, no sábado, dia 30 de novembro, o Conti/Assis recebeu, no Jairão, o time de Limeira em partida válida pelo Paulista Masculino de Basquete Série A Um. Arnaldinho, que atuou por Assis e agora está no Limeira, foi alvo da torcida. O atleta quando atuava pela equipe assisense era um ídolo e sempre ouvia da arquibancada do ginásio: “Arnaldinho, cadê você, vim aqui só pra ti ver”. No sábado ele ouviu: “Arnaldinho vai se ..de, o Conti/Assis não precisa de você”. Em situação inversa está Nézinho, atualmente atuando por Assis, o atleta, antes insultado agora é enaltecido pelos torcedores assisense. Torcedor vai do amor ao ódio num piscar de olhos. No domingo, dia 02 de dezembro, durante a transmissão da partida entre Brasil e Japão pelo Mundial Masculino de Vôlei pela Rede Globo de Televisão, o comentarista e ex-jogador Tande, falou sobre o comportamento da torcida japonesa: “é show um de generosidade”. Ao citar que os japoneses incentivam seu time sempre, mesmo que ele seja o perdedor, e nunca tripudiam sobre o adversário quando este é derrotado.
É neste ponto que eu quero chegar, a generosidade. Lia Dinsk e Laura Gorrezio Roizman escreveram na cartilha Paz Como Se Faz? que: “A generosidade não é um direito, tampouco um dever. Não é regida por leis. É fruto da nobreza de caráter, de uma virtude que nos faz sentir parte de algo maior que nós mesmos, que nossa família ou nosso país. Ela nos humaniza e nos mostra que, no essencial, somos todos iguais: evitamos sofrer; buscamos felicidade, paz, justiça, realização; desejamos ser queridos e respeitados.” Num outro trecho da obra, ainda sobre a generosidade elas afirmam que e generosidade pressupõe a liberdade, afinal “ninguém é obrigado a ser desprendido e estar disponível para os outros”. Porém, a generosidade gera uma atmosfera amigável e, aquele que é generoso não exige recompensa.
Lia e Laura dizem que a avareza e o egoísmo, opostos a generosidade, causam distanciamento e desconforto.
Agora voltando ao futebol, a Federação Paulista, já há algum tempo, prega a cultura de paz nos estádios. Os torcedores começam a demonstrar uma mudança de atitude. Estão reduzindo os palavrões e palavras de ordem contra os adversários e criando momentos até emocionantes como têm feito as torcidas do Flamengo, no Maracanã, e do Corinthians. É um trabalho que está só início, afinal depende uma mudança de comportamento, mudar da cultura de insulto e enfrentamento ao adversário para o enaltecimento daquele por quem se torce e sair do estádio em paz. Portanto seja generoso em todos os departamentos de sua vida. Eu tô tentando.
Em tempo: creio que os torcedores de América, Juventude e Paraná também estão passando pelo mesmo transtorno.

Chance à Paz está prestes a se tornar uma entidade devidamente registrada.

Treze pessoas compareceram a primeira reunião para tratar do registro do Chance à Paz, que aconteceu na noite de 29 de novembro de 2007, nas dependências da Câmara Municipal de Cândido Mota.
Durante uma hora e meia, Silvio Luís fez uma retrospectiva das ações do projeto e demonstrou as razões que o levou a propor a criação de uma associação voltada para a cultura de paz e não-violência e abriu para discussão o assunto.
Ficou definido que será marcada para os próximos dias uma nova reunião, a qual deverá contar com a presença de mais pessoas, uma vez que todos se comprometeram em trazer algum convidado. O futuro encontro servirá para a definição de como será o estatuto que regerá a nova entidade e em seguida acontecerá a eleição e a posse da primeira diretoria. Os que estiverem nessa próxima reunião serão considerados os sócios fundadores.
A nova reunião depende da disponibilidade do advogado que irá providenciar a revisão do estatuto e se responsabilizará pelo mesmo.
Para seu registro o Chance à Paz está contando com o apoio importantíssimo e fundamental da Associação Desportiva Cândido-motense, representada por seu presidente, Valentim Frazão.
Estiveram presentes, Lúcia da S. Favoni, Fábio Nogueira, Valentim Frazão, Emilia C. C. Ferreira, David Ap. de Oliveira, Joaquim Valdemir de Oliveira, Vilma da S. Pagnan, Isaac Chadi, Lucimara Buzzo, Ricardo Passarelli, Fernando Ferreira Moreno, Aparecido Donizete Zupa, além de Silvio Luis de Carvalho.

Mensagem de Final de Ano.

"Dezembro vem o Natal,
os presentes mais bacanas,
as lembranças mais humanas,
você vai encontrar" naqueles que
conseguiu cativar, e nas amizades que conseguiu conquistar.
Amizade sempre deixa boas recordações e não tem preço.
Amizade só traz satisfação e felicidade.
Nada mais bacana e humana do que a amizade.
(Silvio Luís de Carvalho)

Rir é um bom remédio:

Pronome

A certa altura da aula, a professora de português, ouve um zum-zum-zum no fundo da classe e dispara:
- Joãozinho, me diz dois pronomes!
- Quem? Eu? - diz ele espantado, levantando-se.
E a professora ainda mais espantada:
- E não é que ele acertou? Muito bem! Pode sentar!

Acesse nosso podcast para mais informações sobre os temas aqui publicados e inclusive ouvir algumas musicas que têm relação com eles.
_________________________________

Blog Chance à Paz:
Redação, edição e responsabilidade
Silvio Luís
Assis/SP
e-mail chanceapaz@bol.com.br
VIVA A PAZ!!! VIVA EM PAZ!

terça-feira, novembro 20, 2007

Projeto Fome Por quê? – Quem Planta Colhe

Na noite desta segunda-feira, 19 de novembro, foi a vez dos alunos da EM “Olga Breve Alves” conhecerem a proposta de como podem contribuir para o cumprimento da primeira das 8 metas do milênio que é ‘Acabar com a Fome e a Miséria’.
Traçando um paralelo com a data (Dia da Bandeira) podemos dizer que ‘levantamos a bandeira da produção caseira de alimentos’ através do cultivo de hortaliças num pequeno canteiro ou vaso. Para falar sobre a produção de hortaliças contamos com a colaboração do professor de Produção Vegetal da ETE ‘Prof. Luiz Pires Barbosa’ (Centro Paula Souza) e coordenador do Projeto Agricultura Orgânica, Paulo Sérgio de Genova. Ele estava acompanhado do aluno do projeto José Cláudio Damasceno.
Sérgio, por meio de fotos do projeto Horta Orgânica, o qual é desenvolvido nas dependências do Colégio Agrícola de Cândido Mota, demonstrou aos alunos da Olga Breve a produção orgânica de hortaliças e ainda explicou como se transferir para um cultivo doméstico os conhecimentos adquiridos com o manejo de uma horta orgânica comercial.
O professor também destacou algumas vantagens da horta orgânica que ‘tem a produção totalmente livre de agrotóxicos, portanto não havendo agressão ao meio ambiente, além da vantagem financeira. É que produtos considerados orgânicos têm valor cerca de 50% superior ao dos produtos de cultivo tradicional’, segundo ele.
Ainda de acordo com o professor, há 3 anos que seu projeto vem tentando junto aos órgãos competentes a certificação de produto orgânico para sua produção, no entanto há uma série e exigências para isto.
Quanto a adubação da horta, ela é feita, principalmente, com a adição de húmus no solo dos canteiros. Sérgio informou que o húmus (decomposição de matéria orgânica feita pelas minhocas) produzido no colégio pode ser adquirido pela população em geral. Ele também disse que aqueles que se interessarem podem visitar a horta do projeto que ele coordena.
Para a aquisição de sementes, o interessado deve procurar casas especializadas neste tipo de comercialização.
O objetivo da palestra foi despertar nos alunos o interesse pelo cultivo doméstico de hortaliças.
Com isso fechamos o círculo do ditado que diz ser “preciso dar o peixe, mas também é preciso ensinar a pescar’. A parte de ‘dar o peixe’ ficou para os alunos da EM Helena Pupim Albanez, que estão realizando a coleta de alimentos não perecíveis para a Campanha ‘Natal Sem Fome’(veja publicação do dia 13/11/2007). Já para os alunos da Olga Breve foi a parte do ‘ensinar a pescar’, uma vez que estão sendo estimulados a desenvolveram hortas domésticas.
Além da palestra com o professor Sérgio, foram distribuídos aos alunos um panfleto com informações básicas que podem deixá-los com ‘água na boca’ em poderem levar para sua mesa produtos cultivados por eles mesmos, e um cartaz para que possam passar para suas comunidades a idéia do cultivo doméstico de hortaliças. (veja publicação do dia 22/10/2007 sobre a horta do soldado Ederaldo – blog e podcast )
Fora isso, a direção da EM Olga Breve Alves ainda irá oferecer aos alunos que se interessarem em dar início a produção caseira uma porção de sementes de hortaliças e legumes, e ainda conseguimos a doação de algumas mudas de couve para serem distribuídas aos interessados.
A diretora, Márcia Cristina Franciscatti Mecina, e a coordenadora, Maria Elaine Teodoro Garrido, fazem questão de frisar que ‘os alunos que retirarem as sementes e mudas serão monitorados por professores para que se tenha certeza de que estão cumprindo o propósito de produção doméstica de alimentos’.

Vale lembrar algumas observações feitas pelo professor Sérgio:

“Eu, particularmente, acho um absurdo pessoas que têm chácaras, sítios e fazendas comprarem salsinha e cebolinha, por exemplo”

“Trabalhar com horta, principalmente a orgânica, dá trabalho, mas compensa”

Clique sobre a imagem para ser ampliado o panfleto entregue aos alunos da Olga Breve













Fotos da palestra sobre horta, dia 19/11/2007 (clique sobre a foto para vê-la ampliada)







Para saber mais sobre horta orgânica acesse o site www.agriculturaorganicacps.com.br

Blog Chance à Paz
Edição, redação, responsabilidade:
Silvio Luís
Assis/SP
e-mail chanceapaz@bol.com.br
VIVA A PAZ!!! VIVA EM PAZ!!!

terça-feira, novembro 13, 2007

“Fome Por Que?”. Projeto passa para segunda fase.

O Projeto “Fome Por Que?”, iniciado em setembro nas Escolas Helena Pupim Albanez e Olga Breve Alves passa agora para a segunda fase, e os alunos da Helena Pupim já sabem como irão contribuir para o cumprimento do primeiro dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), que é “Acabar com a Fome e a Miséria” ( para saber mais acesse o site
www.nospodemos.org.br ).
Nos dias 12 e 13 de novembro Silvio Luís (idealizador do Chance à Paz) reuniu os alunos na sala de vídeo do estabelecimento de ensino para uma palestra quanto ao cumprimento de tal objetivo. Ele lembrou aos alunos da atividade realizada no mês de setembro sobre o aproveitamento total dos alimentos, ministrada pela nutricionista do Projeto Alimente-Se Bem do Sesi, Daniela Falcão. Tal aproveitamento é uma das maneiras de reduzir a fome, além de significar economia e menos lixo.
Silvio, também apontou que uma outra forma de tal objetivo ser alcançado depende de ações do governo como uma melhor e justa distribuição de renda. Citando números divulgados por organismos como o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e o IPEA (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas), foi possível traçar um cenário a partir da idéia do sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, que quando criou o Ação da Cidadania contra a Fome e a Miséria e pela Vida, em 1993, cerca de 32 milhões de brasileiros viviam na miséria. Atualmente os institutos dizem que são 7,5 milhões de pessoas nesta situação em todo o país, o equivalente a 4,2% da população.
Outra alternativa para Acabar com a Fome e a Miséria é a solidariedade. E é apelando para a solidariedade que será realizada está segunda fase do projeto na Helena Pupim. Para ilustrar a situação de miséria de parte da população brasileira foi exibido o documentário Ilha das Flores, do diretor Jorge Furtado. Você pode assisti-lo clicando no link ( Clique aqui para assistir ao Ilha das Flores ).
Após a exibição os alunos foram convidados ao exercício da solidariedade ao participar da “Campanha Natal Sem Fome”. Eles deverão arrecadar alimentos não perecíveis (exceto sal) os quais serão entregues a entidade a ser escolhida.
Cada turma elegeu o seu líder. Caberá ao líder incentivar os demais colegas de classe em colaborar com a campanha, arrecadar os alimentos em classe e repassá-los a Secretaria da escola. O líder ainda participará da decisão da entidade beneficiada, ou das entidades beneficiadas, e da entrega dos alimentos.
Os líderes são:
3º A – Ana Paula Neris
3º B – Ismael Dias Correia
2º A – Roseli Batista
2º B – Altair Roberto de Almeida de Souza
1º A – Maria Joana Magalhães
1º B – Sueli de Oliveira das Chagas
8ª A – Aronildo Aparecido
7ª A – Thiago Roberto de Oliveira
6º A – Michele dos Santos Duarte
3º Mod. Tec. Contabilidade – Leisa Mossini
2º Mod. Tec. Contabilidade – Danilo Preza
1º Mod. Tec. Contabilidade – Jonathan Miguel Scaramboni
Quanto a entidade ou entidades beneficiadas, segundo a Secretaria Municipal da Assistência Social de Cândido Mota, há 4 entidades que necessitam de doações, no entanto só uma delas distribui cestas-básicas às famílias carentes. As outras 3 utilizam os alimentos que recebe em doação para consumo interno de seus assistidos.
A Campanha vai até o dia 30 de novembro e não está restrita aos alunos da Helena Pupim, a população em geral também pode contribuir, é só entregar sua doação na Secretaria da Escola Helena Pupim Albanez no horário compreendido entre as 8h00 e 22h00.
Vale lembrar que somente a combinação entre aproveitamento de alimentos, melhor distribuição, solidariedade, entre outras, pode contribuir mais rapidamente para o atendimento ao primeiro dos 8 Jeitos de Mudar o Mundo. E isso só é possível com o engajamento da população em geral. A semente foi lançada, agora é deixá-la germinar, crescer e se desenvolver.

Click sobre a imagem do panfleto do projeto em miniatura para vê-lo ampliado.


Projeto Fome Por Que?


Parceiros:
Alimente-se Bem do Sesi
ETE Prof. Luiz Pires Barbosa - Centro Paula Souza
UNIP - Universidade Paulista
Cozinha Piloto - Departamento de Merenda Escolar de C. Mota.

Escolas:
EM Helena Pupim Albanez
EM OIga Breve Alves
Realização:
Chance à Paz


Blog Chance à Paz
Criação, Publicação e Responsabilidade:
Silvio Luís
Assis / SP
e-mail: chanceapaz@bol.com.br
VIVA A PAZ!!! VIVA EM PAZ!!!

segunda-feira, outubro 22, 2007

- Alunos do Grupão assistem primeira apresentação do Fantoche Chance à Paz.
- PM Ederaldo Bernardo dos Santos é um exemplo no cultivo de horta doméstica.
- População de Mianmar está caminhando para uma revolução baseada na não-violência.
- No Recanto dos Amigos texto enviado por membro da Comunidade no Orkut Chance à Paz.
- E mais uma piadinha do Joãozinho.

Abertura:


“Nunca perca a fé na humanidade, pois ela é como um oceano. Só porque existem algumas gotas de água suja nele, não quer dizer que ele esteja sujo por completo.”


Frase de Mahatma Gandhi

Chance à Paz na Escola:

Os três novos colaboradores do Projeto Chance à Paz para a disseminação de cultura de paz e não-violência fizeram sua primeira apresentação na quinta-feira, dia 18 de outubro. Os beneficiados foram os alunos da EE Profª Clotilde Castro Barreira, o Grupão, de Cândido Mota. Os 650 alunos foram divididos em 3 turmas, sendo duas no período da manhã e uma no período da tarde. Os estudantes acompanharam atentamente a história de Jão Vixi e seus antagonistas Breno de Andrade e Natuloro. Além deles, professores e servidores do estabelecimento de ensino e até alguns pais conheceram a saga do personagem Jão Vixi, um menino abandonado, que num determinado momento optou por mudar de vida e abandonar as ruas e seus dissabores. Após as apresentações a aluna da 3ª Série D, Karen Rodrigues Gomes de Jesus, de 10 anos, foi a Repórter Chance à Paz por um dia. Ela entrevistou algumas alunas e também uma professora. Para ouvir a entrevista acesse o nosso podcast ( http://www.podcast1.com.br/canal.php?codigo_canal=409 )e click no programa de número 62. Abaixo fotos e um vídeo do evento: (click sobre a foto para vê-la ampliada)



video

Projeto Fome Por Que?:

Dando continuidade ao Projeto Fome Por Que? que está sendo desenvolvido junto aos alunos da EJA (Educação de Jovens e Adultos) e curso técnico nas Escolas Helena Pupim Albanez e Olga Breve Alves estamos a procura de pessoas da comunidade que cultivem horta. Tais pessoas serão apontadas como exemplo de que com o esforço próprio é possível acabar com a fome, levando para a mesa alimentos saudáveis e que atendam parte de nossas necessidades alimentares diárias. O exemplo de hoje vem da cidade de Assis-SP, onde mora o Policial Militar Ederaldo Bernardo dos Santos, de 39 anos, que transformou o hábito do cultivo de horta em hobby, como ele mesmo diz. Ederaldo conta que desde criança sempre mexeu com horta, incentivado pelo pai, e que agora ele tenta fazer o mesmo com seu filho. Ele acrescenta que com o cultivo da horta consegue transmitir aos filhos o respeito a natureza e a valorização dos alimentos e da vida. Para ouvir a entrevista acesse o nosso podcast (
http://www.podcast1.com.br/canal.php?codigo_canal=409 )e click no programa de número 62. O Projeto Fome Por Que? é desenvolvido em parceria com o Programa Alimente-se Bem do SESI, curso de Nutrição da UNIP de Assis, ETE Prof. Luiz Pires Barbosa e Cozinha Piloto de Cândido Mota.
Abaixo fotos de Ederaldo e sua horta. (click sobre a foto para vê-la ampliada)





Dou Chance à Paz:

Mais um exemplo de revolução que segue os ritos da não-violência está em andamento no continente asiático. Segundo artigo escrito por Shaazka Beyerle é consultora sênior do Centro Internacional de Conflitos Não-Violentos. Cynthia Boaz é professora assistente de ciência política e estudos internacionais da Universidade Estadual de Nova York, em Brockport, publicado pelo jornal inglês Herald Tribune de 19 de outubro, e traduzido para o português por George El Khouri Andolfato para o silte UOL, a população da antiga Birmânia, atual Mianmar, está iniciando mais um exemplo de revolução não-violenta. De acordo com o texto trata-se da revolução açafrão. Milhares de pessoas resolveram se manifestar contra o governo, que desde 1992 é comandado pelo general Than Shwe. Segundo as autoras um exilado que conta com informantes naquele país afirmou que soldados estão faltando ao trabalho ou desobedecendo ordens de seus comandantes. Entre a população civil há orientações para que as pessoas deixem de ir as fábricas e escritórios. O artigo também cita vários exemplos de revoluções não violentas ocorridas no mundo. Começando por Mahatma Gandhi, depois pelo exemplo chileno para depor o general Augusto Pinochet, a revolta dos filipinos contra Ferdinand Marcos, e exemplo que vem da Turquia, que se mobilizou contra a corrupção. Nosso comentário: O exemplo turco bem que poderia ser seguido por nós brasileiros. Diz o artigo que em 1997, quando um protesto contra a corrupção que teve início quando as pessoas apagaram as luzes terminou com manifestações de 30 milhões pelas ruas daquele país.

Recanto dos Amigos:


Hoje vamos ao texto enviado por Sandra, membro da nossa Comunidade Chance à Paz, no Orkut. O texto tem o título de Apaixone-se e é de autoria de Helena Nabuco.

APAIXONE-SE. Autoria:Helena Nabuco.

Apaixone-se definitivamente pelo SEU SONHO. O sonho de ninguém deve ser mais apaixonante que o seu.
Apaixone-se pelo SEU TALENTO, mesmo que seu crítico insista para você escolher outras coisas, mais "convenientes".
Apaixone-se mais pela SUA VIAGEM do que pela chegada a seu destino, pois só a viagem é garantida.
Apaixone-se pelo SEU CORPO, mesmo que ele esteja fora de forma, pois de "qualquer forma" ele é a única casa que você realmente possui.
Apaixone-se pelas SUAS MEMÓRIAS mais deliciosas, ninguém pode tirá-las de dentro de você e elas são excelentes fontes de inspiração em momentos de dor.
Apaixone-se PELAS BESTEIRAS SAUDÁVEIS que passam por sua mente entre um e outro momento de estresse, elas ajudam a sobreviver.
Apaixone-se PELO SOL, ele é fiel, gratuito, absolutamente disponível e dá prazer.
Apaixone-se primeiro POR ALGUÉM. Não espere alguém se apaixonar antes por você, só por garantia e segurança.
Apaixone-se PELA DANÇA DA VIDA, que está sempre em movimento dentro da gente, mas que, por defesas nós teimamos em algemar. Apaixone-se mais PELO SIGNIFICADO DAS COISAS que você conquistar do que pelo seu valor material.
Apaixone-se por SUAS IDÉIAS, mesmo que tenham dito que elas não serviam pra nada.
Apaixone-se por SEUS PONTOS FORTES, mesmo que os pontos fracos insistam em ficar em alto relevo no seu cérebro.
Apaixone-se PELA IDÉIA DE SER VERDADEIRAMENTE FELIZ. Felicidade encontra-se de sobra nas prateleiras de seus recursos interiores.
Apaixone-se definitivamente POR VOCÊ! APAIXONE-SE RÁPIDO! O PODER DE DECISÃO SÓ PERTENCEA VOCÊ!

Nosso Comentário: Ame a si mesmo a todo o momento, porém jamais leve isso para o lado do egoísmo e da auto-sustentação.

Rir é um bom remédio:

A professora pergunta a Joãozinho:
- Joãozinho se eu te der três coelhinhos hoje, e mais outro amanhã , com quantos coelhinho você vai ficar?
- com cinco fêssora!
- cinco? Diz a professora indignada.
E Joãozinho responde:
- Sim, cinco! é que eu já tenho um lá em casa.

________________________________________________________

Blog Chance à Paz:
Criação, produção, responsabilidade:
Silvio Luís
Assis/SP
E-mail: chanceapaz@bol.com.br
VIVA A PAZ!!! VIVA EM PAZ!!!<>

quarta-feira, outubro 10, 2007

Programa Chance à Paz saiu do ar, mas o Projeto Chance à Paz segue com suas atividades normalmente.
Neste domingo, 07 de outubro de 2007, foi ao ar o Programa Chance à Paz de número 36 e o último a ser veiculado pela Rádio A Voz do Vale FM. A falta de patrocínio nos obrigou a tirá-lo do ar. Então aproveitamos a maior parte do programa para fazermos uma retrospectiva do Projeto Chance à Paz, salvo a frase de abertura, agenda, o destaque da semana e a mensagem de encerramento que foram inéditos. Vale lembrar que o programa Chance à Paz saiu do ar, no entanto, o Projeto Chance à Paz continuará firme e forte.

Frase de Abertura:


A verdadeira riqueza de um homem é o bem que ele faz ao seu semelhante”.

Frase de Mahatma Gandhi.


Agenda:

Por decisão da Assembléia Geral da ONU, a partir desse ano, todo dia 02 de outubro será comemorado o Dia Internacional da Não-Violência. A data é em comemoração ao nascimento de Mahatma Gandhi. Em Cândido Mota, 7 escolas estarão desenvolvendo atividades sobre o tema no decorrer do mês de outubro, e em Assis, uma. Caso haja outras escolas interessadas em participar de tais atividades, favor entrar em contato pelo e-mail
chanceapaz@bol.com.br

Duas festas pelo dia das crianças estão programadas para o próximo final de semana em Cândido Mota. No dia 13 será Ginásio Amilton Scapim e é uma promoção da Polícia Militar, no dia 14 de outubro será na Vila São Judas, promovida pelo Guardinha.

E sabe o que temos que fazer hoje, amanhã e depois, e assim por diante? Acabar com a dengue. Os casos de dengue estão aumentando em toda a região, e a culpa é de cada um de nós que mantemos os recipientes com água limpa em nossas casas, quintais e terrenos baldios. Então não se esqueça: todo dia é dia de acabar com a dengue.

Destaque da Semana:

Projetos Sonhando Juntos Por Um Mundo Unido e Chance à Paz iniciam trabalho conjunto na Escola Estadual José Augusto Ribeiro, em Assis.

Na última quarta-feira, dia 03 de outubro, teve início uma parceria entre os Projetos Sonhando Juntos Por Um Mundo Unido e Chance à Paz e a Escola Estadual José Augusto Ribeiro, em Assis. Três classes foram sorteadas para a realização de atividades voltadas a cultura de paz e não-violência, e caberá aos seus alunos serem os multiplicadores do tema.
As classes sorteadas são: Primeiro Ano B do Ensino Médio, e 7ª Série A e 8ª Série B do Ensino Fundamental.
Naquele dia ocorreu o primeiro contato com alunos com transmissão de informações sobre a fragilidade da vida, drogas, prostituição e convívio com familiares e amigos.
Para a seqüência do trabalho estamos selecionando atividades que sejam mais adequadas a cada uma das séries.
A Escola Estadual José Augusto Ribeiro está localizada na periferia de Assis e por isso é nela que se pode vivenciar todas as dificuldades enfrentadas pela população local diante do preconceito e comportamentos que levam uma parcela significativa da população a perda de valores cívicos e morais, o que coloca o estabelecimento e a comunidade em situação de vulnerabilidade.
Por conta disso a direção, a coordenação e os professores da José Augusto estão empenhados na parcela que lhes cabe na busca de soluções para as questões que afligem a comunidade em geral e têm reflexo no ambiente escolar.
Além da realização de projetos como o Sonhando Juntos Por Um Mundo Unido e Chance à Paz, a escola tem um link no site
umdoistrês.com.br no qual demonstra as atividades realizadas na escola, sendo um veículo de troca de informações entre o estabelecimento de ensino, os alunos e a comunidade em geral. (o link é http://www.umdoistres.com.br/escolas/jar/indexjar.htm )

Retrospectiva:

O Projeto Chance à Paz teve sua largada com a criação de uma comunidade no Orkut, então chamada de Minha Arma é a Paz, no mês de maio de 2006, como um espaço para se registrar a indignação diante dos ataques promovidos pelo crime organizado no estado de São Paulo. Dias depois seu nome foi alterado para Chance à Paz, atendendo a sugestão do Comitê Paulista Para a Década da Cultura de Paz, que considerou impróprio o uso do termo Arma, mesmo com conotação pacífica.
Em julho do ano passado foi criado o podcast Chance à Paz e em novembro do mesmo ano o blog, todos com o intuito de difundir a cultura de paz e não violência. Em 04 de fevereiro de 2007, entra no ar o Programa Chance à Paz, aqui na Voz do Vale FM, e que você tem acompanhado até hoje. Aos poucos fomos conquistando audiência, mesmo com o horário não sendo dos mais propícios, conquistamos outros importantes apoios de escolas, entidades e do Poder Público Municipal, só não conquistamos patrocínio para o programa, o que nos leva a tirá-lo do ar, porém o Projeto Chance à Paz prosseguirá normalmente. O programa foi um passo importantíssimo e deu impulso ao projeto.Vamos relembrar a primeira música que tocamos no programa de estréia, que foi A Paz, com Gilberto Gil.

Em Paz Com A Natureza (Retro):

O meio ambiente também sempre figurou entre nossos assuntos. Afinal pra que se tenha um ambiente totalmente de paz é preciso que haja respeito inclusive a natureza, pois problemas climáticos e catástrofes naturais causam impactos significativos na vida das pessoas afetadas por eles, com reflexo nas demais comunidades. No primeiro programa, em 04 de fevereiro, e em vários outros, o aquecimento global e seus efeitos foram citados aqui. Naquele dia nos referimos ao primeiro relatório Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC) que trouxe como principais conclusões:

1) a atmosfera do planeta continua aquecendo (projeções indicam aumento entre 1,9ºC e 4,6 ºC neste século);
2) as emissões de gás carbônico (CO2), pela queima de combustíveis fósseis, continua aumentando no globo (eram de 23,5 bilhões de toneladas/ano em 1990, mas subiram para 26.4 bilhões de toneladas/ano durante o período 2000 a 2005 - ou seja, mais de 100 bilhões de toneladas do gás ao longo do quadriênio;
3) eventos extremos, como secas e ondas de calor, podem ser intensificados;
4) o nível do mar poderá se elevar entre 28 e 43 centímetros, neste século.

O documento mostra que a população mundial precisa mudar seu modo de vida e adotar, individual e coletivamente, atitudes "limpas", aprendendo formas de combinar crescimento econômico com preservação ambiental. Até agora, segundo o estudo, os governos não se mostraram à altura desse desafio. O Brasil reafirma seu compromisso de atuar, junto à Convenção sobre Mudança do Clima, para que sejam adotadas medidas com toda a urgência que o problema requer.
Assim como em 04 de fevereiro quando entramos no ar, hoje ouça novamente Rio Negro e Solimões cantando Planeta Azul.

Em 03 de maio de 2007 realizamos a Primeira Palestra Chance à Paz, na Câmara Municipal de Cândido Mota. Naquela oportunidade contamos com a presença do coordenador da UNIPAZ-São Paulo-Capital, Flávio Ribeiro. Foi o primeiro contato mais direto com a comunidade cândido-motense e estiveram presentes cerca de 50 pessoas, entre elas Edval Inácio de Souza, Procurador Jurídico da Prefeitura Municipal de Cândido Mota, representando o Prefeito Carlos Roberto Bueno. Durante a palestra foi entregue a Edival a proposta de criação do Dia Municipal da Paz.
Depois disso, com o apoio da Secretaria Municipal da Educação e do Departamento de Comunicação da Prefeitura Municipal iniciamos o Projeto Chance à Paz na Escola, que desenvolve atividades nas escolas municipais Olga Breve Alves e Helena Pupim Albanez. E que também já foi para as Escolas Antônio Fontana, Santo Hino e nesta semana para a José Augusto Ribeiro. O projeto vem ganhando corpo e no Dia 20 de setembro com a brilhante participação de escolas públicas e particulares, entidades e projetos sociais e a presença maciça da população na Praça da Matriz, aconteceu o Primeiro Festival Primavera de Paz (Veja a publicação do dia 02 de outubro). A realização do Festival também marcou a instituição do Dia Municipal da Paz no calendário de comemorações do município de Cândido Mota.
Acatando a sugestão feita em 03 de maio, o prefeito Roberto Bueno enviou à Câmara projeto de lei criando o Dia Municipal da Paz. O legislativo cândido-motense aprovou o projeto, por unanimidade, na sessão de 17 de outubro.
Todas estas atividades contaram com apoio da Rádio A Voz do Vale e de outras empresas e entidades e dos jornais O Diário do Vale e Atenção. Nenhuma delas resultou, ou tem resultado até o momento, em ganhos financeiros. O programa Chance à Paz para se manter no ar deveria ser patrocinado, o que não aconteceu, mas a direção da Rádio fez questão de mantê-lo até aqui.

Recanto dos Amigos (Retro)


No quadro Recanto dos Amigos, dedicamos à amizade e as mensagens em favor dela. Pudemos expressar e ouvir sobre um dos mais importantes elos da humanidade, que é a amizade. Também aqui nos referimos a natureza e o texto de Olavo Bilac que tem como título “Velhas Árvores”, foi um dos destaques deste quadro.


"Olha estas velhas árvores, mais belas
Do que as árvores novas, mais amigas:
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas...

O homem, a fera, e o inseto, à sombra delas
Vivem, livres de fome e fadigas;
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E os amores das aves tagarelas.

Não choremos, amigo, a mocidade!
Envelheçamos rindo! envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem;

Na glória da alegria e da bondade,
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!"

Num certo programa, nós atendemos a carta da ouvinte Ruth, que é membro do CONSEG, aqui de Cândido Mota.
Naquele dia Ruth pediu a música Dinamite de Amor, com Amado Batista e ofereceu para todos os seus amigos e para os ouvintes do Chance à Paz.

Mensagem de Encerramento do Programa:

O texto é de minha autoria: Silvio Luís de Carvalho, e recebeu o título de “Pra você...”

Pra Você....
( Silvio Luís de Carvalho )

Não fale de Deus e viva num inferno.
Ele é Pai, e não mercadoria.
Afinal, o nome Dele não deve ser usado em vão.

Não fale de paz e viva em guerra com você mesmo.
Tenha coragem de mudar.
Seja verdadeiramente humano.

Acumule riqueza. Ela melhora sua vida.
Porém a compartilhe. Ela de nada lhe ajudará quando for chegada a hora da sua despedida.
Todos nós teremos o mesmo fim. Não interessa se seremos levados para uma cova rasa ou para um mausoléu.

Seja poderoso. Exerça o poder em benefício da coletividade.
Não exerça o poder com o intuito da satisfação pessoal à custa da exploração alheia.
Mostre o poder que você tem de fazer um mundo melhor.
Basta querer, porque querer... é poder.

Deixe escrito na sua história aquilo que você foi, não aquilo que você teve.
E para que isso aconteça, dê importância ao que você é, e não ao que você tem.
O que você é lhe pertence, ninguém lhe toma. E essa será a sua melhor herança para a humanidade.

Músicas Executadas durante o programa:

A História do Mamute - Armandinho: http://br.geocities.com/elpingon_online/mamute.html
A Paz - Gilberto Gil: http://vagalume.uol.com.br/gilberto-gil/a-paz.html
Planeta Azul - Rio Negro e Solimões: http://vagalume.uol.com.br/rio-negro-e-solimoes/planeta-azul.html
Dinamite de Amor - Amado Batista: http://vagalume.uol.com.br/amado-batista/dinamite-de-amor.html
A Paz - Nando Cordel: http://br.youtube.com/watch?v=n7cKxsrJjq0
Faça o Bem - Nando Cordel - letra não disponível
Tente Outra Vez - Raul Seixas: http://vagalume.uol.com.br/raul-seixas/tente-outra-vez.html

Blog Chance à Paz:
Criação, redação e responsabilidade:
Silvio Luís
Assis/SP
E-mail: chanceapaz@bol.com.br
VIVA A PAZ!!! VIVA EM PAZ!!!